São Paulo Expo adota pioneiramente sistema de cogeração a gás

Com capacidade de produzir até 6 MW de energia elétrica e de climatizar toda a área de exposições, foi inaugurado essa semana o sistema de cogeração a gás natural do São Paulo Expo, maior centro de eventos do Brasil, localizado na capital paulista.


O evento contou com a presença do secretário de Energia e Mineração do Estado de São Paulo, João Carlos Meirelles, do diretor de Operações do São Paulo Expo, Daniel Galante, e do presidente da Comgás, Nelson Gomes. A Companhia de Gás de São Paulo é parceira do empreendimento, administrado pelo grupo francês GL Events. "O gás natural é uma forma segura e barata de gerar energia elétrica. Estamos trabalhando em conjunto com os estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Pernambuco e Rio Grande do Sul para ampliar a participação do gás natural na matriz energética nacional e exemplos como este do São Paulo Expo é um incentivo aos empresários a realizar a cogeração a gás", disse Meirelles. O projeto, que entra em operação neste mês no Salão do Automóvel, é o primeiro sistema de cogeração de um centro de exposições no Brasil. "Fizemos um levantamento que nos mostrou que o gás natural traria ganhos de eficiência energética e econômicos, além de ser um método sustentável. Para um espaço do porte do São Paulo Expo, que anualmente recebe milhões de visitantes, foi a escolha apropriada para oferecer conforto aos clientes", afirmou Galante. O projeto prevê uma capacidade de três geradores de 2 MW da General Eletric. Em paralelo, aproveitando o calor dos motores, funcionará um sistema de refrigeração da LG, com um chiller de absorção de 900 TRs. O equipamento produzirá parte da água gelada utilizada no processo de climatização - tarefa que terá o reforço de outros dois chillers de absorção de queima direta, cada um com 1.100 TRs. As obras para a construção de 2 km de rede levaram aproximadamente um mês. "A Comgás proporcionou ao São Paulo Expo a melhor solução entre as alternativas existentes, em condições muito mais competitivas. Disponibilizamos o serviço, a versatilidade e a segurança do gás natural e contribuímos prestando consultoria em todas as etapas do processo. Foi assim que surgiu a proposta de cogeração", disse o presidente da Comgás, Nelson Gomes. O volume de consumo de gás natural mensal é estimado em 160 mil m3, o que seria suficiente para abastecer 12.300 casas com consumo médio de 13 m3 por mês. A cogeração também alivia o sistema de geração elétrica. Para alimentar a mesma energia seria necessária uma potência de 9 MW (considerando gerador e chillers), com um consumo de aproximadamente 810 MWh por mês. O uso de gás natural se mantém como um dos energéticos mais competitivos do mercado. Com os dois ajustes nas tarifas da Comgás ocorridos em 31 de maio e 3 de outubro deste ano, de acordo com deliberações da Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp), a redução acumulada para a faixa de consumo do São Paulo Expo ultrapassa o patamar de 25% ante a tarifa anterior. A procura por este tipo de solução vem crescendo no Estado de São Paulo, principalmente frente à insegurança de interrupções na energia elétrica convencional. A cogeração a gás natural é o processo mais eficiente de produção de energia, por permitir o aproveitamento de subprodutos energéticos em outras aplicações. É especialmente indicada para empreendimentos que buscam competitividade operacional, autossuficiência energética, segurança, qualidade da energia elétrica e sustentabilidade. Um sistema de cogeração funciona a partir de uma turbina a gás natural ou de um motogerador. O aproveitamento térmico proporcionado a partir dessa geração pode ser aplicado em outras utilidades para o mercado industrial ou para o comércio e serviços. Em geral, as aplicações mais comuns são geração de vapor, água quente e água gelada (ar condicionado). Além das vantagens econômicas, a cogeração a gás natural aumenta a confiabilidade energética. O paralelismo da concessionária elétrica garante que um empreendimento sempre tenha energia - a rede elétrica se transforma em um backup. Para o país, sistemas de geração distribuída - como se chama a geração elétrica realizada junto ou próxima dos consumidores, minimizando as perdas de energia do sistema de transmissão e distribuição - contribui para a diminuição da carga elétrica interligada, ajudando a postergar novos investimentos em geração e transmissão. O sistema tem ainda benefícios ambientais em relação ao uso de geradores movidos a diesel. Administrado pelo grupo francês GL events, o São Paulo Expo é o mais novo centro de exposições, congressos e convenções da capital paulista. Com uma área de 100 mil m2, o complexo arquitetônico é multifuncional, capaz de sediar feiras de negócios e de público, congressos e eventos corporativos nacionais e internacionais, além de eventos culturais, sociais, esportivos e de entretenimento. A GL events investiu R$ 410 milhões em sua modernização e ampliação, concluída no final de abril de 2016. O projeto consistiu na reforma do pavilhão existente de 40 mil m2 e na construção de outros 50 mil de área de exposição e mais 10 mil m2 de centro de convenções. Outra inovação foi o edifício garagem com 5 mil vagas, sendo 4,5 mil cobertas, tornando-se o maior estacionamento coberto do Brasil.


Fonte: Revista digital Ipesi

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon

© 2015 por Ronemak Máquinas Operatrizes. Todos os direitos reservados.