Setor eólico vai investir R$ 28 bilhões em 2016

Ao contrário da maioria das atividades produtivas no Brasil, o setor de energia eólica prevê crescimento em 2016. E os números são significativos: 40% de expansão sobre o ano anterior, investimento de R$ 28 bilhões e a geração de cerca de 50 mil empregos, de acordo com dados divulgados pela Abeeólica, a entidade que representa o setor eólico brasileiro.

 

 

 Ao longo de 2016, serão instalados 165 novos parques eólicos que irão somar 4 GW à capacidade de geração de energia do País. Em 2015 - com investimento de R$ 19,2 bilhões - foram construídos 111 parques, 16 a mais que em 2014. “Nós crescemos 32% no ano passado em relação a 2014 e em 2016 vamos crescer em torno de 40% em relação a 2015”, informa a presidente da Abeeólica, Elbia Gannoum.

 

O Boletim Mensal de Monitoramento do Sistema Elétrico, do Ministério de Minas e Energia, mostra que a capacidade instalada do setor de geração eólica cresceu 56,9%, considerando o período de 12 meses encerrado em novembro de 2015 ante os 12 meses anteriores. Entre todas as fontes de geração de energia elétrica, a eólica teve a maior expansão. “Hoje, o Brasil precisa ampliar sua matriz e essa expansão passa necessariamente pela fonte eólica. Nosso País tem uma política de energia que prima pela fonte limpa, renovável e competitiva, e a fonte eólica tem essas três características”, diz a presidente da associação.

 

Nos cinco leilões realizados em 2015 para ampliar a capacidade de geração no País, foram contratados 1.789 MW médios de diversas fontes, com investimentos previstos em R$ 13,3 bilhões. As energias renováveis tiveram destaque, com a contratação de energia eólica de 22 empreendimentos, 30 de energia solar e 13 de biomassa, de acordo com o Ministério de Minas e Energia.

 

“Neste ano, devemos atingir o equivalente a uma Belo Monte de capacidade instalada (de geração eólica). E já temos contratado o equivalente a mais de uma Itaipu, que é a segunda hidrelétrica do mundo. As perspectivas são muito boas. Em pouco tempo a geração eólica será, depois da hídrica, uma das fontes mais importantes da matriz elétrica nacional”, destaca o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim.

 

Em 2015, a capacidade de geração de energia eólica no Brasil atingiu 8,72 GW. A expectativa do governo, segundo o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2024), é que esse número salte para 24 GW em 2024.

 

 

Fontes: Abeeólica, Ministério de Minas e Energia, Portal Brasil.

 

Retirada do site da Revista Usinagem Brasil.

Please reload

Posts Em Destaque

Ronemak, soluções em corte!

October 17, 2018

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags